quinta-feira, 16 de julho de 2015

HOJE FALAMOS DO FUTURO DE NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

UMA COZINHA QUE NÃO DEIXA O CALDO VIRAR


Assim é ... estamos de volta, depois de um bom tempo afastadas das telinhas do blog.
Gostaria hoje de continuar falando de comidas, sobremesas saborosas, conversas afiadas com um bule de café na mão; mas os ventos do nosso sempre amado Brasil e nem sempre uma pátria mãe gentil, hoje nos arrebata.
Entra em cena a REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL NO BRASIL
Uma conversa que nos engasga a alma e nos arrebata a fala.
Num país; onde a maioria de assassinatos é contra jovens negros e pobres;
Num Brasil; onde brasileiros conseguem xingar a mais alta autoridade do país, com os nomes mais baixos possíveis, em pleno congresso nacional;
Num país onde os políticos colocam suas patentes antes dos seus nomes próprios – e estão a serviço do povo heim!!!
Num congresso que tenta a todo custo impor uma votação de retirada diária de direitos; desrespeitando acordos internacionais e estudos internos;
Num país que tem permitido falas de caráter higienista em pleno congresso nacional;
Que joga a culpa nos seus adolescentes e crianças;
Que não compreende que ninguém nasce marginal e o que vivemos a anos; passando por outros e muitos governos é a falta de políticas sociais;
Num pais que precisa admitir que nosso problema é a  corrupção e a impunidade, mas dos maiores de idade, especialmente políticos que acreditam numa superioridade arcaica e medíocre.

Fala do Deputado Larte Bessa para o The Guardian:
“In another 20 years we will reduce it to 14, then 12.” (Em 20 anos nós vamos reduzir para 14 e depois 12)
“One day, we will get to a stage in which we are able to determine whether a child in the womb has criminal tendencies and if it does the mother won’t be allowed to give birth,”  (Um dia, nós vamos chegar em um estágio em que nós seremos capazes de determinar se uma criança no ventre tem tendências criminais e se a mãe não vai ser permitida de dar a luz)"
Essa última frase assume o caráter assustadoramente higienista e lombrosiano das medidas de redução!!!!!!! Vergonhosamente um Deputado Federal.


Hoje, nosso pais vive um retrocesso político, social e porque não dizer social.

A tentativa de REDUÇÃO DA MAIOR IDADE PENAL, passa pelos mais pobres, pelo extermínio da população negra e indígena e também pelo racismo institucional que continua condenando tantos ciganos à invisibilidade. Sabemos bem, que os mais abastados financeiramente não cumprirão esse papel. A distribuição da culpa sem que se dê cumprimento devido ao SINASE (Lei Federal 12.594/2012 em 18 de Janeiro de 2012) E AO ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)é totalmente eleitoreiro e oportunista.
Queremos uma polícia mais bem preparada e remunerada, que consiga proteger o cidadão e cidadã e não apenas a propriedade.

+ EDUCAÇÃO
- CADEIA
Junte-se a nós nessa luta.



Dizer não a PEC 171/93 é deixar claro que existe uma boa parcela da população brasileira que não se curva ao sentimentalismo barato e oportunista, de quem acredita fielmente que seu próprio filho é melhor que o filho do outro, que esse é um país que ainda aceita CIRCO E PÃO como pagamento de cidadania.


               Há tempos as coisas vem andando na onda do ... o meu é melhor, sigam o meu exemplo. Enquanto o número de jovens, crianças e adolescentes MORTOS não para de CRESCER. Não se trata de guerra partidária, se trata de discutir EDUCAÇÃO de fato. Cadê a movimentação para pagar melhor os professores??? Onde está a guerra contra o Narcotráfico, que depois de engolir os meninos pobres e ricos de 16 anos, certamente vai recrutar os de 10 anos?

               Precisamos abrir os olhos de tal maneira, que a dor de uma mãe não pode ser maior que a de outra. Que a criança branca que levou um tiro e morreu, não seja santificada em cima da dor de milhares de mães que perdem seus filhos todos os dias pelo fuzil, pela fome, pelo tráfico ou pela mãos das drogas.

                Não se trata apenas de reduzir, se trata de reconduzir a sociedade ao seus direitos básicos fundamentais. Um assaltante, um assassino deve sim, cumprir sua pena. Mas de acordo com uma sociedade humanizada, presente e participativa. É isso que o ECA faz, reconhece e garante a cidadania de todos os filhos e filhas menores de 18 anos, dessa pátria sempre amada e nem sempre mãe gentil, chamada BRASIL.

Deixar de construir escolas para construir presídios/ faculdades  do crime é de fato seguir a lógica de criminalização, da penalização do mais pobre e menos favorecido.

                O que queremos é JUSTIÇA SOCIAL, o resto é conversa eleitoreira e bem a moda de um povo que vê sua cultura e suas riquezas indo embora a cada massacre indígena, a cada acampamento invadido, a cada mãe que perde seu filho numa chacina - que alías já virou paisagem no Brasil; que liga a TV e comenta todos os dias o quão violento e corrupto está nosso país, mas que fura a fila do SUS, da padaria ou do show, porque isso é ser espero.
Somos mais que isso, mas se não conseguirmos enxergar a saída, seremos de fato um país que MATA SUAS CRIANÇAS, MATA SEU FUTURO E QUE JÁ MORREU A TEMPOS, MAS AINDA NÃO ENTENDEU.

Elisa Costa

AMSK/Brasil

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves