segunda-feira, 22 de julho de 2013

COMUNICADO

 A Associação Internacional Maylê Sara Kalí - AMSK/Brasil
cria um novo espaço:




Caras e queridas amigas, irmãs, companheiras e pessoas admiráveis:

Lutamos muito esses últimos anos e sempre estiveram conosco, desde o semear da Falcão, dos sonhos da Carlota, dos livros da Cláudia e do Manuel Pop, O carinho da Isabel, o coração da Ana, os blogs que replicam as receitas e conversam sobre discriminação e preconceito, fazendo com que a Van, a Kanduta e a Maria da Glória se tornem multiplicadores de sabor com consciência. A nossa Maria que tanto nos inspira, a poesia do Eufrázio que nos banha, o carinho da Isabel e a ternura do Daniel.

A todos e a cada um, o nosso muito obrigada por tudo. O tema cresceu e nos sentimos um pouco responsável por esse salto no nosso país. Tivemos aqui a ajuda sem igual de pessoas que mesmo distantes, fizeram da nossa cozinha, uma cozinha que discute política e implementa utopia (não há como não lembrar da Maria João, do Bruno Gonçalves e do Sérgio Aires). E não nos esqueçamos dos beijos salpicados de luar da Cezarina e sua poesia.

Lançamos o AMSK/Brasil - blog, que passa a reunir de forma ágil, todas as informações sobre os rromá no Brasil (leis e decretos) e os avanços e boas práticas no exterior. Os subsídios imediatos para a demanda que hoje se faz, poderemos atender de forma mais equilibrada e disponibilizá-la a todos. Nele, tem um pedacinho de cada um de vocês e de todos que sempre estiveram do nosso lado.
Essa luta não tem fronteira, é uma luta de todos os países e de todas as pessoas. Construimos pontos e assim como todos vocês, de certa forma somos um tijolinho nessa construção. O coração da nossa luta bate com a ajuda de vocês.

Esse novo lugar de encontro, irá juntar material claro e objetivo sobre as possibilidades de ajuda, ação e políticas aplicadas sobre os Povos Romani no Brasil - os assim chamados ciganos. Nele o máximo de realidade, contra o estereótipo e contra a ignorância e a desinformação. Tudo isso começou com vocês a uns anos atrás e é sempre com vocês que seguiremos, afinal, amigos são estrelas.





Obrigada
por terem nos ajudado
a aplacar nossa sede.
Obrigada a cada um e a todos,
para que a herança dos Povos Romani no Brasil,
não seja a miséria, a fome e a discriminação.
Ainda falta muito,
mas não estamos sozinhas,
temos vocês.

Nais Tukê

Cozinha dos Vurdóns
Um projeto da AMSK/Brasil.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

A COZINHA CIGANA NA COZINHA DOS VURDÓNS

La Zingara
Caravaggio - 1574.

COZIDO DA MAYLÊ



Esse é nosso mesmo. Já vimos de várias formas, sentamos e experimentamos, mas esse ninguém copia. O jeito certo é fazer ao ar livre, com tempo, num tripé com a panela de ferro dependurada, gente amiga conversando e muita alegria. Bom, como ele é forte, esquenta a alma.


Base da receita:


½ k de feijão branco (coloque de molho)

4 colheres de sopa de azeite, misturado com 1 cabeça de alho amassada, 2 cebolas pequenas raladas, 1 colher de sopa cheia de sal (aqui usamos sempre a flor de sal), misture tudo e acrescente o sumo de 2 limões Taiti – o verdinho. Deixe incorporar tudo. Enquanto isso prepare as carnes.

1 calabresa média, picada em pequenos quadrados,

1 xícara de chá de barriga de porco também picadinha em quadrados.

1 peça de costelinha sem gordura, cortadinha com osso e tudo. Tipo 4 centímetros. (por cá, pedimos ao senhor do açougue que corte na máquina para nós.

Escalde as carnes com água quente.


Chegou a hora:


Coloque a caçarola de ferro no fogo e ponha logo uma chaleira pra ferver uns dois litros de água.


Com a panela quente, coloque os temperos e acrescente 2 pimentas de cheiro fatiadas – sem sementes, ½ maço de cebolinha fresca, dois tomates picados em quadradinhos e uns 6 jilós, picados finamente, mexa tudo até começar a ficar grudadinha na panela. Acrescente as carnes que escaldou, mexa e tampe por uns 5’. Vai juntar água e fritar na própria gordura. Quando a água secar, coloque 1 xícara de café de água fria e mexa, vai secar de novo e você volta a colocar a xícara pequena de água – nesse vai e vem você fica até que tudo esteja dourado.


Escorra o feijão e acrescente a panela, mexa bem e despeje os dois litros de água quente. Tampe a panela e de vez em quando volte para dar mais uma mexida. Volte a esquentar água – 2 litros e quando tiver secado a metade da água da panela, repita a operação e despeje mais essa água quente. Mexa e tampe.


Da próxima vez que a água secar, coloque 2 litros de água fria e mexa, fique mexendo com a panela sem tampa, até ferver e engrossar. 


Por cá, só nos resta as cuias pra servir, o pão pra acompanhar e essa saudade que as vezes não sabemos de onde vem ou pra onde vai, mas que nos deixa sempre em paz.


 
 Leonardo da Vinci, 
“Testa di Scamuccia”, Oxford, Chunch


Cozinha dos Vurdóns.

















 La Societá Zingara

BRIGADEIRO DE UVA – NA COLHER





Muito simples gente, faz sucesso e lembra os campos do sul do Brasil, da França e da Itália, afinal de contas, quando se fala em uva ... lembra-se vinho.

Vamos a receita:

Para 8 pessoas:

Abra 2 latas de leite condensado e coloque na panela, acrescente 1 colher de sopa de manteiga com sal – 2 cálices cheios de suco de uva concentrado. (tem sempre que substitua um cálice de suco concentrado, por vinho seco).

Fogo baixo e mexendo sempre, até alcançar a segunda fervura, depois desliga e despeja nos potes onde se vai servir. Pode-se enfeitar com cachos de uvas glaçados, mas nunca tive paciência de fazer. 

Pra dizer a verdade, gosto de uva assim, sentada na escada com um potinho na mão, vendo a vida passar e saboreando. 

Esse docinho fizemos para presentear, fez sucesso.

Cozinha dos Vurdóns

sábado, 13 de julho de 2013

RISOTO DE PERNIL - conversas na cozinha



RISOTO DE PERNIL


O preparo do bife de pernil (http://cozinhadosvurdons.blogspot.com.br/2013/07/baclo-mayle.html) pique a carne e volte para a panela em que ela foi feita.
Gente - a faca de cerâmica está aprovada.



Acrescente:

2 xícaras de arroz Carmaroli, refogue bem e deixe que tudo esteja bem integrado,
Coloque 2 xícaras de água fervendo e misture bem, siga assim até chegar a hora de colocar mais duas xícaras de água, abaixe o fogo e tampe a panela. Deixe cozer por 10’, acrescente 1 copo de vinho TINTO/seco de boa qualidade e continue mexendo. Agora já estamos quase no final.







Reveja o tempero, que talvez precise de um pouquinho de sal – a depender do gosto. Para nós não precisou. 




Desligue e acrescente a ele uma mistura:

1 colher de sopa – de manteiga c/ sal
1 colher de sopa de nata fresca.

Misture bem, tampe a panela e deixe descansar mais 5 minutos.
Esse é o tempo que temos para preparar um potinho de mostarda Dijon – pra acompanhar e um pão de frutas secas.


A cozinha se reuniu com alguns amigos da Maylê para estudar e apontar os avanços do encontro Brasil Cigano, ocorrido em maio deste ano. O tipo de avaliação interna que nos faz feliz. A liberdade e o respeito tem dessas coisas, para abrir caminho, precisa contar com amigos, sérios, gente disposta a contribuir e a abrir mão do sucesso. Gente que divide o prato. Gente que deseja ver a estrada asfaltada, sem achismos e sem falsos egos. O movimento cigano no Brasil ainda tem muito que avançar, mas ganhou bons aliados e portanto, segue avançando.




Enfim, conversas de cozinha, com amigos de casa e um risoto que muito nos lembrou a Itália. 

Cozinha dos Vurdóns
feliz em ver a estrada ganhando rumo.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

BACLÕ A MAYLÊ

BIFE DE PERNIL A MODA DA CASA
(segredos de família)

O segredo?

Temperos ...

 2 cebolas picadas
3 dentes de alho fatiados
1/2 alho porô
4 figos secos picados
1 colher de café (cheia) de flôr de sal 
1/2 pimentão amarelo e 1/2 pimentão amarelo,
salsa picada,
manjericão
1 colher de café de páprica
2 pimentas de cheiro fatiadas
1 colher de sopa de mel
2 colheres de sopa de um bom azeite.

Refoga-se tudo, em panela alta, deixando os pimentões por último.

 Tenro e macio. Ao final, acrescente umas gotinhas de limão e coma com manrô - pão.

pra que mais...

Cozinha dos Vurdóns.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

OS BISCOITOS DA VERA OU AS MINHOCAS DO PRINCIPEZINHO


A Bertha entrou na cozinha ....
vai sair coisa boa, comentamos.






E de fato saiu...
Eram Biscoitos ... quer dizer, ainda não, mas seria sim... 
em pouco tempo.






E chega a notícia:
"Se querem lanchar, preparem um café, já já, sai os biscoitos...
 E de fato saíram ... estalando e cheirando...
 e Aqui está ... os biscoitos da Vera ... quer dizer: os biscoitos de côco, receita da Vera
Ou minhocas se preferirem. Quer saber! Vai lá no blog e veja a receita. 
Fica bom,
é rápido e ainda dá pra presentear se quiser.

Biscoitos de côco http://hojeparajantar.blogspot.com.br/2012/04/biscoitos-de-coco-ou-minhocas.html

RECEITA TESTADA E  APROVADA 
PALAVRA DA BERTHA.

Cozinha dos Vurdóns - cozinha de amigos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves