terça-feira, 30 de outubro de 2012

PIMENTÕES ASSADOS E FRANGO COM MOSTARDA

PIMENTÕES ASSADOS
(Espanha)

Simples assim - pimentões amarelos e vermelhos - os verdes são ácidos demais, retire as sementes, passe azeite neles e leve ao forno. O perfume é o alerta. A casca solta rapinho, então você corta em tiras.

Ótimo pra comer com assados e com pão.

FRANGO COM MOSTARDA
(Índia)

3 filés de peito, cortados em tiras pequenas, 1 colher de sal, alho e azeite. Refogue e cozinhe em pouca água. Acrescente cheiro verde, desligue o fogo e espere amornas. Acrescente 3 colheres de sopa de Mostarda Dijon - esquente no vapor ou nem isso, sirva frio. Acompanha pães ou salada.

Em tempos de paz, temos que lutar por ela, em tempos de guerra, temos que lutar contra ela.
Um novo começo é sempre uma esperança, na qual precisamos aliar paciência, discernimento e muito carinho.

"O impossível leva o tempo o exato para se tornar possível."

El presidente de la Unión Romani, que fue invitado a participar en la ceremonia que tuvo lugar en Berlín, aprovecha esta oportunidad para denunciar la cruel persecución a que están sometidos los gitanos, hoy, después de los 70 años transcurridos desde el horrible crimen que representó el Porrajmos (genocidio en rromanò).

Para oír la entrevista, que dura 6 minutos, pulse en el siguiente enlace:

 http://www.rtve.es/alacarta/audios/entrevista-de-actualidad/entrevista-actualidad-r5-holocausto-olvidado/1562019/

Cozinha dos Vurdóns

domingo, 28 de outubro de 2012

KIBE DE CASTANHA DO PARÁ/NOZES

Uma das virtudes dos romá é que por onde passavam, aprendiam sempre alguma coisa. Com a comida não foi diferente, esse é um bom exemplo: o kibe assado de castanha de cajú.

Ponha 500grs de farinha de trigo de molho, enquanto isso separe 50grs de castanha ou de nozes picadas e secas,  maço de hortelã fresca picadinha, 1 colher de sopa de sal, azeite o quanto baste, 1 cebola ralada, 1 colher de sopa de pasta de alho, 30 azeitonas pretas picadas, 4 ovos inteiros, 6 batatas grandes cozidas e 1 copo de requeijão cremoso.

Exprema o trigo e misture todos os outros ingredientes até ficarem bem integrados a massa. Unte com azeite uma forma, faça os cortes com a faca e regue com azeite novamente, coloque um filme plástico e leve a geladeira por 2 horas.
Depois retire o filme plástico e ponha pra assar. Leva mais ou menos 45' em temperatura alta. Sirva com limão.

***

O historiador traz na mente um cigano típico (um protótipo), mas que necessita ser desmontado pelas evidências de grupos ciganos na diversidade de situações em que se encontram. Se for sensível, compreenderá que, antes de tudo, deve desconstruir o modelo sobre os genericamente chamados ciganos. Uma história de ciganos deve ser feita de muitas exceções, impossibilidades, contradições, incongruências, contra-sensos. Essa perspectiva tem um cigano que extrapola a coerência que a escrita tradicional do historiador exige; as condições espaciais e temporais individualizam muito os ciganos; a história dos ciganos é a história de um mosaico étnico. Este cigano - total abstração - é como a repetição infinita de um modelo ou motivo que se realiza através de variantes ilimitadas. ( "A grande falha da literatura sobre ciganos, oficial e acadêmica, é a supergeneralização, observadores têm sido facilmente levados a acreditar que práticas de grupos particulares são universais, com a concomitante sugestão de que qualquer grupo que não seguisse as mesmas práticas não seriam 'verdadeiros' ciganos." (Acton, Th., Gypsy politics and social change, London and Boston, Routledge & Kegan Paul, 1974. p. 3).).


Cozinha dos Vurdóns

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A COZINHA MÁGICA



A COZINHA MÁGICA
(PROGRAMA BRASIL ROMANI - EU SOU) 



São locais mágicos e inspiradores que realçam nossas idéias. O certo e o errado, o mais bonito, o mais simples. As alegrias da comemoração e a tristeza das partidas e desencantos.

Nada escapa a cozinha, prazeres, sentimentos, lágrimas e alegrias. As descobertas, as negociações, as grandes decisões, as batalhas decisivas e além. Ai dela se não for mágica. Poder transformar alimentos simples em manjares dos deuses, pequenas conversas em verdadeiras orações.

Em tempos de guerra armazenamos pão, em tempos de paz, assamos bolos.
Isca de pernil – numa frigideira larga, coloque as tirinhas de pernil, temperadas com sal e alho. Vá acrescentando água aos poucos e deixando secar e dourar. Se quiser coloque rodelas de cebola no final, ficam ótimas.

Bacon – numa farofa ele muda o gosto, numa carne ele modifica o sabor e transforma uma polenta num prato divinal.
Lombo com alho: simples, descasque 20 dentes de alhos e vá recheando o lombo já temperado, com azeite e sal. Coloque pra assar e quando for comer, vai sentir um gosto adocicado do alho.


(Alho assado com azeite)
 
A magia e o aroma dos bolos, no final da tarde, bolos de laranja, de cenoura e de maça. Bolo de bolo, simples que lembra a casa da gente quando não tinha muita coisa, mas tinha bolo.

Biscoitos de nata e de todo jeito. Biscoito escaldado e frito, assim, como não se faz mais, por causa do colesterol. Bobagem.

A cozinha mágica reúne pessoas de todas as classes sociais, porque os empregados tomam café de manhã, os patrões, tomam água de madrugada, as crianças deixam as coisas caírem no chão, assim como os mais velhos e há vida, onde há vida há magia.
Qual mulher nunca teve um ataque aos doces ou sorvetes da geladeira e quem nunca abriu a geladeira irritada pra dizer: droga, não tem nada.

Pois é, a nossa Cozinha dos Vurdóns agora tem endereço e funciona só com amigos e para amigos. Tem um bom vinho, uma água de flor de laranjeira e uma nova versão da Guibanitza, doce e salgada – receita da rromí Márcia Castilho, tudo cheirando a amizade e carinho. (Ela irá aparecer por aqui, trazendo receitas tradicionais).



 (bombons de nozes e chocolate preto / bombons de amêndoas e chocolate branco)


Tem o Bolo da Reina, torta húngara da Maylê e bolo de café, de chocolate e de laranja. Empanadas e pasteis assados.

Tem bombom de nozes e de amêndoas, tem pão de queijo na chapa e a nova versão de quibe com castanhas e hortelã. Tem paella gitana e bem grande o nome do programa – BRASIL ROMANI – EU SOU.

Tem foto pra todo lado e documentação sobre os rromani no Brasil e no mundo – abrimos as portas, acolhemos as denúncias e colocamos a mão na massa.
Tem Sara a nos lembrar o caminho e Deus a nos guiar.


Tem essa coisa que nasce dentro da gente chamada esperança, num mundo melhor, numa vida mais justa, numa vontade enorme de ver as coisas acontecendo e fazer com que elas aconteçam. Esse é o lugar onde fizemos das nossas diferenças nossa melhor e mais poderosa arma, o respeito.

ESTÁ OFICIALMENTE ABERTO O ESPAÇO CULTURAL DA AMSK/Brasil.

 Cozinha dos Vurdóns
nais tukê a todos que ajudaram,
a todos que lutaram conosco.
Aqui tem literatura, pesquisa, café, dança, saúde e trabalho duro.
Aqui tem um pedaço de cada uma de vocês.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Memorial aos ciganos vítimas do Holocausto será inaugurado em Berlim


Memorial aos ciganos vítimas do Holocausto será inaugurado em Berlim

De Céline LE PRIOUX (AFP) – Há 6 horas 




BERLIM — Mais de 65 anos depois do Holocausto, a chanceler alemã, Angela Merkel, irá inaugurar nesta quarta-feira, em Berlim, um memorial aos ciganos vítimas do nazismo, no momento em que esta comunidade ainda enfrenta casos de racismo e discriminação na Europa.

Quase 500 mil sinti e roms da Europa, dois grupos ciganos muito presentes na Alemanha e considerados "racialmente inferiores", foram assassinados pelo III Reich, segundo estimativas oficiais.

Situado em frente ao Parlamento alemão, o memorial aos sinti e roms, criado pela artista israelense Dani Karavan, consiste em um eixo com um pilar central no qual repousará a cada dia uma flor recém-colhida. Ele está localizado perto de um outro dedicado às vítimas do Holocausto e um dedicado aos homossexuais mortos pelos nazistas.

"O Holocausto contra os ciganos - ou "Porajmos", que significa literalmente devorar - tem sido por muito tempo negado e não tem sido objeto de pesquisas históricas, não só na Alemanha, mas também em outros países como a França de Vichy ou países do Leste Europeu que participaram da perseguição", considerou o historiador Wolfgang Wippermann, da Universidade Livre de Berlim.

"Ao contrário dos judeus, que os nazistas perseguiam pela sua religião, os ciganos, católicos em sua maioria, não eram necessariamente identificáveis entre outros cidadãos", explica Romani Rose, presidente do Conselho Central alemão dos sinti e roms.

Para remediar esta situação, os "pesquisadores raciais" da Alemanha nazista gravaram uma série de características e estabeleceram genealogias que às vezes remontavam ao século XVI, para detectar um "ancestral cigano", a fim de enviar para os campos de extermínio os "de sangue misturado". Em Auschwitz e em Ravensbrück, eles serviram como cobaias para experiências médicas.

A RFA reconheceu oficialmente este genocídio em 1982, com um gesto do chanceler Helmut Schmidt. E em 1997, o presidente Roman Herzog ressaltou pela primeira vez que ele teve a mesma motivação racista e que havia sido praticado pelos nazistas com a mesma resolução e o mesmo desejo que o extermínio dos judeus.

Atualmente, 11 milhões de ciganos vivem no continente europeu, entre eles sete milhões na União Europeia, principalmente na Europa Central e do Sudeste, na Romênia, Bulgária, Hungria e Eslováquia.

A maior minoria étnica na Europa é também a mais pobre, que sofre com a discriminação e o racismo. Rose denuncia principalmente a situação na Romênia, onde foram libertados da escravidão em 1856, na Bulgária, Hungria, Eslováquia, mas também na França e Itália.

A queda da Cortina de Ferro em 1989 e a expansão do Leste Europeu provocou a migração de alguns para o oeste mais rico, e países como França e Itália implementaram medidas de segurança, que incluem a destruição de acampamentos considerados ilegais.

Atualmente vivem na Alemanha cerca de 70 mil ciganos de nacionalidade alemã. "Eles não são nômades e suas famílias estão, por vezes, instaladas há 600 anos em nosso país", indica Wippermann.

Eles fazem parte desde 1997 das quatro minorias protegidas na Alemanha, como os dinamarqueses e os frísios instalados no norte, e os sorbs que vivem no leste.

Nas últimas duas décadas, várias dezenas de milhares de ciganos originários do Leste Europeu também tentaram uma chance na Alemanha. Mas não existem campos selvagens, com dizia o presidente Nicolas Sarkozy há dois anos, afirmando que Angela Merkel procederia com evacuações.

Recentemente, Berlim manifestou seu desejo de fazer parar essas migrações, desejando que fosse retirada a isenção de visto para os cidadãos sérvios e macedônios, muitos dos quais são ciganos.

Fonte: AFP
http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jcaxA9djip7D5zxIC3LV5EhX9knw?docId=CNG.33a5fe2e73c231d7d6abac75c4abd70b.41

Ver mais:
El Holocausto gitano, por fin reconocido (Deutsche Welle, Alemanha)
Berlín inaugura su monumento en memoria de los gitanos víctimas del Holocausto (AFP, em espanhol)



Um memorial apenas  será de serventia, se manter a bandeira da igualdade firme na formulação de políticas públicas e no cumprimento  das leis internacionais que preservam os seres humanos e as minorias. Os ciganos continuam sendo a maior minoria étnica nos países onde vivem e não são estrangeiros, são cidadãos.

Cozinha dos vurdóns


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

BRASIL ROMANI - EU SOU





O programa de AÇÃO AFIRMATIVA BRASIL ROMANI – EU SOU – acredita:
Num país que respeita os seus,
Crê num mundo que reconheça seus filhos,
E deseja que os homens que se enxerguem entre si,
Que as Mulheres se reconheçam e sejam reconhecidas;
E espera que as Crianças comunguem o direito a inocência e a infância.

Considerando a Constituição Federal de 1988 - Art. 5- Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

Considerando o disposto na Resolução CNE/CP nº 01, de 17 de junho de 2004, Art. 2º, § 1º, a Educação das Relações Étnico-Raciais tem por objetivo e produção de conhecimentos, bem como de atitudes, posturas e valores que eduquem cidadãos quanto à pluralidade étnico-racial, tornando-os capazes de interagir e de negociar objetivos comuns que garantam, a todos, respeito aos direitos legais e valorização de identidade, na busca da consolidação da democracia brasileira.

Considerando DECRETO Nº 6.177, DE 1º DE AGOSTO DE 2007. Promulga a Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, assinada em Paris, em 20 de outubro de 2005.

Respeitar as diferenças é acreditar num mundo melhor e apostar no futuro.
Nesse Brasil de muitas cores, um Brasil Romani.
 clic na imagem e acesse o pdf
OS PARCEIROS DA AMSK/Brasil

SEPPIR - Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR).
Associação Internacional da Cultura Romani – Brasil
Assembleia de Deus Comunidade Cigana de Aparecida de Goiânia,
Associação de Apoio e Divulgação da Cultura Cigana de Ribeirão Preto,
Leshjae Muzika e Dança Zingara 

Olha só Maria (a nossa Maria de Cadiz), esse é o 
resultado do seu carinho e do carinho de todos os nossos amigos desde Espanha, Portugal e Colômbia.

Adelante
Cozinha dos Vurdóns

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

SOU CIGANO - Bruno Gonçalves